quinta-feira, 25 de maio de 2017




é um mar
esses teus olhos cor de fogo
acesos incensos seculares
olhares que vagam pelo corpo
poemas, dois dos espetaculares

em ondas
que chamam, atrevimento
em notas de fina quintessência
são folhas dançando contra o vento
com passos beirando a excelência

é um mar
esses teus olhos cor de fogo
que acendem o rubor da minha tez
ah, se eu permaneço nesse jogo
bem certo é que me afogue de uma vez



- Lena Ferreira - 

terça-feira, 23 de maio de 2017



mas, estava escrito que assim seria
se te esquecesse, reencontrar-te-ia
não diferente do ser que lembrava
 indiferente ao constrangimento

que lembrança certa, imune ao degredo,
desperta e esperança o reconhecimento
e acorda os medos tão bem conhecidos
dos tempos idos - salvo engano ledo -

mas, estava escrito que assim seria:

eu compondo loas que dedico ao vento
tu dispondo afinco ao distanciamento


- Lena Ferreira -

domingo, 21 de maio de 2017




sei bem quando tu vens
antes mesmo de chegares
a faceirice dos olhos ruboriza
ondas variantes pelas curvas
e setas indicando o porto certo
mostra-me um cais seguro de atracação

sei bem quando tu vens
a brisa mole traz o teu perfume
lenta, a mente queda os pensares
e a alma desmaia em sensações
imprevistas, surpreendentemente

sei bem quando tu vens
pássaros cantam ao longe
anunciando a tua chegada
asas cansadas de voos incertos
por nuvens densas, carregadas de ais

sei bem quando tu vens
o vento para e, no vão do seu silêncio,
o teu silêncio me fala bem baixinho
da paciência em reserva que é amar

sei bem quando tu vens
e antes de chegares, eu me apronto
pausando a ansiedade, eu me deito
na tua calma que traz bem e mais



- Lena Ferreira -

sexta-feira, 19 de maio de 2017



ouço o teu instinto
borbulho voraz
que embriaga a paz
tal qual vinho tinto

que desta vez perfaz
o momento exato
do ambiente intacto
onde, em mim, te sinto

- náufragos desejos
afogam-se nos beijos -

perfume de lírios
exalando, apraz
ciciando o mais
chama o arrepio

e outra vez perfaz
com o mesmo impacto
mas, tão, tão distinto
que, completo, em paz
espasmado, jaz
o licor do cio



- Lena Ferreira - excerto do livro "Dedo de Moça"

terça-feira, 16 de maio de 2017




pouco adianta apontar o defeito
observado no comportamento
de quem caminha contrário ao seu vento
e que não pousa a mão no mesmo peito

pouco adianta o vago julgamento
que, inútil, tenta imputar o efeito
de que o outro siga o mesmo jeito
que enxerga a vida e tome o seu assento

pouco adianta indicar-lhe a trilha
que toda trilha é feita amiúde
em passo estéril ou passo fecundo

pouco adianta dar-lhe uma cartilha
dá-lhe o exemplo em cada atitude
*seja a mudança que quer ver no mundo

- Lena Ferreira -


*Mahatma Gandhi