quarta-feira, 23 de novembro de 2016

cronos

se voltasse
como um vento sem  aviso
levantando o pó das coisas
que dormem no sol da paisagem
em cada canto conciso
encontraria em recibo
notas pelo só momento
se voltasse
como chuva de passagem
encharcando o chão da espera
das palavras, dos sorrisos
ao lado de um verbo preciso
encontraria o juízo
dos afetos, dos encantos
e o agradecimento
se voltasse
como uma brisa suspensa
sobre as coisas insuspeitas
com o intuito de quem dera
encontraria outro intento
mas, não
o arrependimento



 - Lena Ferreira -